Shoyu: Saiba Tudo Sobre Este Molho

Busca

Categorias

Curiosidades 12 de Maio de 2022

Shoyu: Saiba Tudo Sobre Este Molho

Hoje viemos te contar um pouco da história deste grande protagonista da comida japonesa: o molho shoyu. Segundo pesquisadores da cultura oriental, este ingrediente teve origem na China, onde era conhecido como Jiàng. Foi levado para o Japão por volta do ano 250 D.C e hoje é apreciado em mais de 100 países. 

Foi ao chegar em terras japonesas que este condimento passou a ser preparado por meio da fermentação, graças a esta técnica seu sabor foi incrementado com aromas complexos que originam o sabor umami, ou quinto sabor como também é conhecido. 

 

Molho Shoyu e Umami: 

Em japonês umami quer dizer “sabor gostoso”. Entre os especialistas, o quinto paladar é conhecido por ser o responsável pela sensação de suculência em alguns alimentos, como no sashimi. Para muitos umami é mais do que um sabor, é também a sensação que temos ao saborear alguns pratos, como aqueles que são memórias afetivas para nós. Bom, mas isso é assunto para outro artigo. Hoje o que precisamos saber é que o umami é responsável por aquela sensação de bem-estar e satisfação que você sente ao morder nosso sushi de salmão embebido em shoyu, por exemplo.

 

Mas afinal, shoyu é feito de quê?

Quatro ingredientes são a base deste saboroso molho: soja, água, sal e trigo. Os grãos são lavados, triturados e depois vão para a etapa de secagem. Acrescenta-se então o sal e uma levedura que inicia a fermentação. Em produções atuais esta mistura fica maturando por um período de seis meses, depois é diluída em água e está pronto o shoyu. Entretanto, no Japão muitos produtores deixam o mosto dos grãos fermentar por até dois anos, o que origina molhos de sabor riquíssimo, com coloração avermelhada e sabor mais intenso do que os encontrados no Brasil. 

 

Tipos de molho shoyu, seus benefícios e principais usos

Por aqui o tipo mais comum é o koikuchi. Feito com proporções iguais de soja e trigo, seu valor é mais acessível e o sabor predominante é o umami. O usukushi tem cor mais clara e sabor levemente adocicado, é muito popular no Japão. Já o tamari é considerado o mais tradicional, pois sua fabricação remonta 400 anos. Em seu preparo utiliza-se menos trigo.

Assim como a soja, o molho shoyu é rico em proteínas vegetais, ferro e cálcio. Também é rico em antioxidantes, substâncias que previnem o envelhecimento celular. Possui quantidade abundante de aminoácidos essenciais e vitaminas do complexo B. Por possuir uma grande quantidade de sódio, seu consumo deve ser moderado por pessoas hipertensas. Uma boa alternativa é optar pela versão light, com teor deste mineral reduzido.

 

Confira 3 dicas para não errar quando for degustar esse molho:

- Somente o peixe deve tocar o shoyu, ao saborear niguiris, por exemplo, incline um pouco a mão para afastar o arroz do molho;

- Não mergulhe os alimentos nele, caso contrário o sabor dos peixes e vegetais se perderá;

- Não acrescente wasabi ou gengibre no recipiente do molho de soja.

 

Agora que você já conhece um pouco mais sobre este ingrediente delicioso, que tal vir degustá-lo com seu combo preferido? Te esperamos em uma de nossas unidades, mas se quiser levamos até você! Peça pelo iFood, Whatsapp ou nosso App.